Do “chá de revelação”

Sim, estou grávida! E era preciso ter feito algum post falando sobre isso, mas está na lista de pendências um pequeno relato/desabafo sobre este atual momento da vida.

Uma das coisas que mais me deixou bastante impressionada (num bom sentido!) foi a curiosidade das pessoas próximas com relação ao sexo do baby. É bonitinho de ver. Do meu companheiro às amigas queridas, todo mundo tem um palpite e está louco pra saber.

É estranho que eu mesma estou bem desencanada, mas acho que é importante sim saber desde já. Obviamente não pra montar um quarto de princesa ou todo azul, reforçando estereótipos há muito disseminados, ou pra escolher as roupinhas rosas / azuis do enxoval, pelo contrário. Essa questão da construção da identidade da criança a partir do sexo e do gênero é assunto muito importante – pra meninas e meninos. E um dos que mais me preocupam, na verdade. Acho que um dos motivos pra querer saber o que é o baby é justamente pra já refletir sobre os desafios que estão contidos no papel de mãe de menina ou de menino, pq são bem diferentes, embora difíceis em ambos os casos. Mas vou abrir um novo post para falar sobre isso e sobre a questão de não poder também separar a criança da sociedade posteriormente.

Este post é para contar que consegui convencer o namorido que seria bem divertido chamarmos as pessoas pra fazer um chá de fraldas (que a princípio eu descartei pq não queria nenhum tipo de comemoração) onde o objetivo central seja descobrirmos todos juntos o sexo do baby! O tal “chá de revelação”. Meu empenho no momento é tornar a festa o menos sexista possível, sei que sendo a revelação através do azul/rosa ou dos passarinhos do convite eu já falhei um pouco. Mas manter essa ideia em mente e não reproduzi-la em todos os cantos pra onde as pessoas olham me parece razoável.

Contratei um buffet de pizza e estou ajustando ainda alguns detalhes, mas a revelação ficará por conta da minha irmã. Eu queria muito que fosse com balões saindo de uma caixa, pq é lindo, mas o preço do gás hélio não tem a mesma beleza. Agora procuro alternativas (acho que encontrei!) já que não quero o tradicional bolo com a cor. Veremos.

PS: por enquanto a maioria acredita que será a Yasmin! Volto depois do dia 30 pra contar.

Comentários

comentários

Marcela Santander

Marcela, 30 anos. Pisciana com ascendente em gêmeos e lua em escorpião. Mãe, feminista, ser político. Interessada em estudar antropologia e convenções sociais. mais?